Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Tudo e Mais Alguma Coisa

Desde o sobrenatural, ao paranormal... Teorias da conspiração!!

Tudo e Mais Alguma Coisa

Desde o sobrenatural, ao paranormal... Teorias da conspiração!!

Espécies de Vampiros

Como ao longo dos séculos foram aparecendos mais lendas e com diferentes histórias, também foram aparecêndo mais tipos de vampiros. Aqui está uma actualização do post
anterior.

 

Camazotz
 ==> Oriundo do México e Guatemala, este era considerado um deus-morcego dos maias. Tem dentes enormes e afiados, garras e asas. Pensa-se que esta criatura
foi inspirada num morcego hetófago existente na região, que agora está extinto.

 

Strigoi
 ==> Vindo da Roménia, este morto-vivo mantinha a aparência de uma pessoa normal, mas era apenas uma ilusão, este desenvolveu uma cauda e tinha o corpo
coberto de pêlos.
o strigoi andava descalço e nu, ou usando apenas uma camisa. Saía do seu túmulo á meia-noite, com o caixão às costas.

 

Kiang Chi
 ==> Oriundo da China, este tinha unhas compridas e recurvadas, uma longa cabeleira, olhos parados e raiados e pele esverdiada. Voava e possuía um hálito
venenoso. Para o deter, bastava apenas colocar na sua frente um monte de arroz, pois este não resistia a contar cada grão de arroz existente no monte.

 

Kappa
 ==> Proveniente do Japão, esta criatura humanóide, verde e pequena, parecia-se por vezes com uma criança, mas também se assemelhava a um sapo ou lagarto.
O seu método de atacar as suas vitímas era sugar o seu sangue pelo anûs.

 

Este último tinha um método um bocado, como é que se pode dizer..., um bocado "nojento" (peço desculpa pelo termo). Espero que gostem. Conforme vou fazendo
as minhas pesquisas, vou encontrando mais. Estes últimos foram encontrados com a ajuda de um colega. Caso achem que estes posts têm algo que não bata certo
basta apenas deixarem um comentário, ou enviar as vossas questôes para o seguinte email : vpca@sapo.pt.

 

 

Ivan o Terrivél

Vou postar agora,sobre o perfil de Ivan IV da Rússia,mais conhecido como Ivan o terrível!
Era mais um poderoso ser,que no século XVI surpreendeu muitas pessoas da época [e nos dias de hoje também] com sua
crueldade!Algumas pessoas,acham que ele era um vampiro, e outras apenas o vêem como um homem mal, sem coração, rancoroso e
louco. Leia mais abaixo sobre ele,e deixe seu comentário se possível.

Ivan, o Terrível foi o primeiro czar da Rússia, e seu comportamento arbitrário e cruel levou muitos a compara-lo a Vlad o
Empalador, o Drácula histórico. Ivan herdou o título do Grão-Duque de Moscovy quando tinha 3 anos de idade e cresceu
observando as famílias líderes de sua terra liderarem os países por um período de caus, à medida em que lutavam entre si
por parcelas de poder. Tinha 17 anos quando um Conselho de Escolha surgiu para efetuar reformas.
Embora eles tenham tido sucesso em acabar com o caus, Ivan discutiu continuamente com seus membros sobre uma vasta
quantidade de assuntos administrativos. Em 1564, frustado, abdicou repentinamente. Quando o povo exigiu seu retorno, pôde
ditar os termos de sua reintegração e obter o poder quase absoluto. Movimentou-se rapidamente para estabelecer sua própia
elite governamental, a Oprichnina, que retirou grande parte do poder remanescente das mãos do boiardos.

O reinado de duas décadas de Ivan foi marcado, em parte, pela sua conquista das terras ao longo do Rio Volga e por seu
movimento para a Sibéria, assim como a desastrosa guerra em que se envolveu quando tentou sem sucesso capturar a Livônia
(hoje Estônia). Ele é mais lembrado, todavia não por suas acções políticas, mas por sua conduta pessoal. No afã de
estabelecer, agia rapidamente na punição (e às vezes execução) de muitos que desafiavam seu reinado ou que de alguma forma
mostrassem desrespeito pelo que ele considerava seu estados engrandecido.

Entre as tendências excepcionais mais lembradas pelos seus conteporâneos, Ivan possuía um senso de humor negro, bem similar
ao que fora atríbuido a Vlad. Frequentemente, esse humor caracterizava as torturas e execuções daqueles que se tornavam o
objeto de sua ira. Conforme assinalou um historiador, S. K. Rosovetskii, muitas das histórias sobre Ivan eram variações
daquelas atribuídas a Vlad um século antes. Por exemplo, havia a história folclórica romena sobre os cidadãos moradores da
cidade de Tigorviste, a capital de Drácula. Os cidadãos tinham caçado do irmão de Drácula. Em represália, ele reuniu os
principais cidadãos (os boiardos) após as celebrações da Páscoa e, em suas melhores roupas, fez com que marchassem na
construção do Castelo de Drácula. Ivan, reporta-se, fez algo parecido na cidade de Volgoda quando as pessoas o viram na
manhã da Páscoa. Juntou-as todos ainda em suas melhores roupas de festa e construiu uma nova muralha para a cidade.

Talvez a mais famosa história de Drácula contada a partir de Ivan se referia ao enviado turco que se recusou a tirar seu
chapéu na presença de Drácula. Este, em seguida, pregou o chapéu do homem a sua cabeça. Ivan fez o mesmo com um diplomata
italiano (ou, num relato alternativo, com um embaixador francês).

Ivan, como Vlad, muitas vezes se virava contra poderosas figuras da sociedade russa e os humilhava para evitar seu retorno
à dignidade de seus cargos. Conta-se a história, por exemplo, de seu ataque sobre Pimen, o representante metropolitano
russo-ortodoxo de Novgorod. Despiu-o de suas vestes litúrgicas e vestiu-o de ministrel ambulante (uma ocupação rejeitada
pela igreja) e montou um casamento satírico no qual Pimen se casaria com uma égua. Apresentando o despido prelado com os
sinais de seu novo estados, uma gaita de foles e uma lira, Ivan despachou-o da cidade.

Ivan era diferente de Vlad com relação ao seu apetite sexual, tinha sete esposas e cerca de 50 concubinas. Também deixou
os seus sucessores imediatos com uma herança mista. Embora tivesse expandido o território da Rússia, deixou o país na
bancarrota e o descontentamento com seu reinado cresceu de forma contínua. Ivan, todavia, morreu de forma pacífica enquanto
jogava xadrez, no dia 18 de março de 1584.

 

 

 

Lady Bathory


Lady Bathory

Esta é mais uma história comprovada,da existência de outro ser muito cruel,maligno e diabólico,que alguns acreditam ser um vampiro!
Trata-se de "Erzsébet Bathory"[Elizabeth Bathory].
Ela é influência para estudos sobre o comportamento da mente até hoje,e influencia na
literatura, música e se não me engano,em filmes...Uma banda famosa que a idolatra são os "Cradle of Filth",
que já compôs uma música em sua homenagem!

Erzsébet Bathory foi a Condessa que torturou e assassinou várias jovens e, por causa disso ficou conhecida como
um dos "verdadeiros" vampiros da história.
A família Bathory viveu no que conhecemos hoje como Eslóvaquia.
Muitos dizem que ela era húngara, mas isso se deve ao facto de que naquela época,
as fronteiras húngaras não era o que podemos chamar de "fixas" .
Ela cresceu numa propriedade da família Bathory, em Csejthe, a nordeste da Hungria. Quando criança, era sujeita a doenças repentinas acompanhadas de intenso rancor e
comportamento incontrolável.

Erzsébet Bathory experimentou várias crises de possessão.
Nunca podia prever-se quando tal aconteceria.
De repente surgiam violentas dores na cabeça e nos olhos.
As criadas traziam feixes de plantas frescas e narcotizantes, enquanto sobre o lume se preparavam drogas soporíferas onde se iriam embeber esponjas para se
passarem a seguir pelas narinas da paciente. Não se sabe ao certo que tipo de doenças eram nem qual a sua origem.

Em 1574, Erzsébet engravidou de um breve romance com um camponês. Mas, assim que sua gravidez ficou visivel, ela foi escondida de todos, pois estava noiva
do Conde Ferenc Nadasdy, chamado de "o herói negro". Erzsébet se casou com ele em maio de 1575. Como era soldado, o Conde Nadasdy passava a maior parte do tempo
em campanhas, o que fazia com que a Condessa tivesse de assumir os deveres de cuidar dos assuntos do Castelo Savar, propriedade da Familia Nadasdy.
Foi aí que sua carreira maligna realmente começou, com o disciplinamento de um grande número de empregados, principalmente mulheres jovens.
Ela não só punia aqueles que infringiam seus regulamentos, como também encontrava desculpas para as severas punições,
deleitando-se com a tortura e morte de suas vítimas.

Há muitas histórias fabulosas sobre a Condessa Bathory.
Conta-se que com 20 anos, idade em que normalmente se frequentam bailes e recepções na aristocracia húngara, a prima do príncipe Drácula vivia numa quase
total reclusão.
Amantizou-se com o intendente Thorbes, que a iniciou em feitiçaria e que, tendo-a casado com Satanás, teria lhe transmitido os ritos secretos da seita de
 "Ave negra" – sociedade secreta à qual ele pertencia. Esta ordem mantinha estreitas e subterrâneas relações com a Ordem do Dragão de Segismundo da Hungria.
Erzsébet participava das reuniões de magia com Thorbes, com a sua ama, as duas criadas e o mordomo Johannès Ujvary.

Diz-se que certo dia a condessa, envelhecendo, estava sendo penteada por uma jovem criada, quando a menina acidentalmente puxou seus cabelos.
Erzsébet virou -se para ela e a espancou. O sangue espirrou e algumas gotas ficaram na mão de Erzsébet. Ao esfregar o sangue nas mãos, estas pareciam tomar
as formas joviais da jovem. Foi a partir deste incidente que Erzsébet desenvolveu sua reputação de desejar o sangue de jovens virgens.
O Conde Nadasdy não só tomava parte nos actos cruéis da sua esposa como a ensinava novas formas de tortura. Ele veio a falecer em 1604.
Após sua morte, Elisabeth mudou-se para Viena e logo depois, passou um tempo no Solar de Cachtice, o local que foi o cenário de seus actos mais depravados e famosos.

Uma segunda história fala do comportamento de Erzsébet após a morte do marido, quando ela colecionava uma série de jovens amantes.
Logo que enviuvou, dispensou a companhia de sua sogra e dos subordinados do marido, para se entregar tranquilamente aos ritos mágicos ensinados por Thorbes.
Numa ocasião, quando estava em companhia de um de seus jovens amantes, viu uma mulher de idade e perguntou-lhe: "O que vocé faria se tivesse de beijar aquela velha
bruxa ?". O homem respondeu com palavras de desprezo. A velha, entretanto, ao ouvir o diálogo, acusou Erzsébet de excessiva vaidade e acrescentou que tal aparência
era inevitável, mesmo para uma condessa. Diversos historiadores têm ligado a morte do marido de Elizabeth e essa história , a sua preocupação com o envelhecemento e
daí o fato de ela tomar banho em sangue.

Nos anos que se seguiram após a morte do marido, Erzsébet conseguiu uma nova companheira para seus atos sádicos: uma mulher chamada Anna Darvulia, de quem
pouco se sabe. Quando a saúde de Darvulia piorou, Elisabeth voltou-se para Erzsi Majorova, viúva de um fazendeiro local, seu inquilino.
E parece que esta foi a responsável pelo declínio da Condessa pois incentivou a mesma a incluir entre suas vítimas, mulheres da nobreza, em virtude da dificuldade
que Elisabeth estava a ter para conseguir novas criadas (vítimas). Afinal, a fama da Condessa e seu comportamento já eram conhecidos por todas as redondezas.
Em 1609, Elisabeth matou uma jovem nobre e encobriu o facto alegando suicidio.

Em 1610, começaram as investigações sobre os crimes da condessa. Na verdade, era mais por motivos políticos (O Conde Nadasdy havia emprestado dinheiro ao Rei e este
queria se ver livre de tal empréstimo confiscando o latifúndio da Condessa). Porém as suspeitas dos assassinatos dela, eram mais que uma desculpa para concretizar os
planos da coroa.

Outra versão do caso, afirma que em Novembro de 1610, uma das vítimas conseguiu fugir antes de ser condenada à morte. O rei Mathias II, conhecedor do caso, encarregou o
conde Thurzo de investigar as estranhas práticas da condessa. A 30 de Dezembro de 1610 o conde forçou a vedação do castelo de Csejthe.
Na sala grande da torre de menagem, descobriu horrorizado um cadáver em cujo corpo não havia nenhuma gota de sangue, vasos cheios de sangue ainda não coagulado, e
um moribundo barbaramente torturado. Submetido a interrogatório, o mordomo Ujvary confessou ter participado em trinta e sete assassinatos rituais.
Uma tesoura, manejada por Erzsébet Bathory, substituía o punhal sacrifical. Os servos desta estranha missa de sangue recolhiam-no para depois prepararem os banhos
de juventude de Erzébeth cuja aparência jovem, comentavam os juízes, "não podia ser senão de origem diabólica".
Com isso, a 26 de dezembro de 1610, a Condessa Erzsébet Bathory foi presa e julgada alguns dias depois. Em 7 de janeiro de 1611, foi apresentada como prova, uma
agenda contendo os nomes de todas as vítimas da Condessa, registrados com a sua própria letra. No total foram 650 vítimas.

 

Além de sua reputação de assassina e sádica, ainda foi acusada de ser uma "lobisomem" (o termo "werewolf" traduzido do original, não possui gênero) e uma vampira.
Durante seu julgamento, várias pessoas afirmaram que ela mordia o corpo das meninas que torturava. Ela foi acusada então de drenar o sangue de suas vítimas e de
banhar-se nesse sangue para reter a juventude. Por todos os parâmetros, Elisabeth era de facto uma mulher muito atraente.
A condessa confessou arrogante e friamente os seus crimes. Os dois necromantes foram condenados à morte. Arrancaram-lhe as unhas, cortaram-lhes a língua,
espetaram-lhe os olhos e por fim queimaram-nos em fogo lento.

Erzsébet foi condenada a confessar a sua culpa e a ser decapitada. A sentença foi comutada, tendo em vista a sua origem e posição, para prisão perpétua "a pão e água". Veio a morrer em 1614, passados anos, encerrada entre as paredes de uma das salas do seu castelo.
"The Book of Werewolves" registra a lenda básica de uma Condessa húngara que matou suas criadas para banhar-se no seu sangue, uma vez que ela imaginava que esse
tratamento manteria sua pele jovem e saudável. A verdade é que ela assassinou 650 moças para esse fim. (...) O testemunho de centenas de pessoas demonstrou que o
seu uso de sangue para finalidades cosméticas era lenda, mas confirmou que ela de facto matou mais de 650 moças (ela lembra cada atrocidade no seu diário).
A Condessa evidentemente gostava de morder e dilacerar a carne de suas jovens criadas. Um de seus apelidos era "Tigre de Cachtice". Ela torturou (...) também em Viena,
onde possuía uma mansão na rua dos Agostinianos(...), proximo ao palácio real no centro da cidade. Durante o julgamento em 1611, foi confirmado que "em Viena,
os monges arremessavam seus corpos contra as janelas quando ouviam gritos (das jovens que eram torturadas)". Esses monges certamente os do velho mosteiro Agostiniano
defronte da mansão Barthory. No porão, Erzsébet mandou um ferreiro construir uma espécie de compartimento de madeira, ou cela, onde torturava suas vítimas.

Os constantes casamentos entre membros nobres da mesma família na Hungria, destinados a manter as propriedades entre si, podem ter levado à uma degeneração genética;
a própria Erzsébet era sujeita a ataques epiléticos. Também um dos seus tios foi um notório satanista, sua tia Klara uma terrível aventureira sexual e seu irmão
Stephen um bêbado e um devasso.

Conta-se que pouco antes de completar 15 anos, Erzsébet casou-se com Ferenc Nadasdy. Ferenc era tão cruel quanto sua esposa. Quando em casa, distraía-se
torturando presos turcos. Ensinou até mesmo algumas técnicas de tortura à Erzsébet. Uma delas, muito dolorosa, era uma variação do "pé quente",
em que pedaços de papel embebido em óleo eram colocados entre os dedos do pé de empregados preguiçosos, aos quais se ateava fogo, fazendo com que a vítima
visse estrelas de tanta dor e se contorcesse tentando livrar-se do fogo. Erzsébet costumava enterrar agulhas na carne e sob as unhas de suas criadas.
Punha também moedas e chaves aquecidas ao rubro nas mãos das torturadas, ou então, usava um ferro para marcar o rosto de empregadas indolentes.
Também costumava jogar as jovens na neve, enquanto água fria era atirada sobre elas até que morressem congeladas. A jovem era levada para fora sem roupa e seu corpo
esfregado com mel e ela permanecia 24 horas ao ar livre, de modo que pudesse ser picada por mosquitos, abelhas e outros insetos. Ela teria ateado fogo aos pelos
pubianos de uma de suas empregadas. Entre tantas histórias dizem que uma vez ela abriu a boca de uma criada até que seus cantos se rasgassem, enfim, histórias assim é que não faltam, o que torna difícil separar o facto do mito.

 

 

http://s487.photobucket.com/albums/rr240/AliceHalle/?action=view&current=Ladybathory.jpg

Cronologia à História dos Vampiros

1407 - Surge a aparição da palavra "upir", que mais tarde se tornou "Vampiro", num documento que se refere ao príncepe russo como "upir Lichy".

1428 - Neste ano nasce o famoso Vlad Tepes, filho de Vlad Dracul.

1436 - Vlad Tepes torna-se o príncipe da Wallachia e vai para Tirgoviste.

1442 - Vlad Tepes e seu pai são aprisionados pelos turcos.

1447 - Vlad Dracul é decapitado.

1448 - Vlad Tepes conquista por um breve tempo o trono da Wallachia, porém é destronado e dirige à Moldávia, onde se torna amigo do príncipe Stefan.

1451 - Vlad e Stefan fogem para a Transilvânia.

1456 - Uma pessoa de nome John Hanyadi ajuda Vlad a ter o trono da Wallachia, mas Vladislav Dan é executado.

1458 - Aparece Mathias Corvinus que sucede a John Hanyadi como o rei da Hungria.

1459 - Massacre dos boiardos na Páscoa e a reconstrução do Castelo de Drácula. E Bucareste é estabelecida como o segundo centro de governo.

1460 - Ataque sobre a cidade de Brasov, Romênia.

1462 - Após a batalha no Castelo de Drácula, Vlad vai para a Transilvânia. E inicia um período de 13 anos na prisão.

1475 - As guerras de verão na Sérvia são contra os turcos e em novembro : Vlad retoma o trono da Wallachia.

1476 - Vlad é assassinado.

1560 - Nasce Elizabeth Bathory.

1610 - Bathory é presa por Ter mort centenas de pessoas e de ter nadado no sangue das suas vitimas. Ela é julgada e condenada recebendo a sentença de prisão perpétua.

1614 - Elizabeth Bathory morre.

1645 - Leo Allatius escreve o 1° Tratado moderno sobre os Vampiros; "De graecorum hodie quirudam opinatio nabus".

1657 - Fr. Françoise Richard associa o vampirismo à bruxaria quando escreve "Relation de ce s'est passé à Sant-Erini Isle de L'Archipel ".

1672 - Uma terrível onda de histeria varre Istra.

1679 - Philip Rohr escreve um texto alemão sobre Vampiros de título : "De Masticatione Mortuorum ".

1710 - A histeria do Vampiro varre a Prússia oriental.

1725 - A histeria do Vampiro volta à Prússia oriental.

1725/30 - A histeria do Vampiro continua na Hungria.

1725/32 - A onda da histeria do Vampiro na Sérvia austríaca produz os famosos casos de Peter PlogojoWitz e Arnold Paul (Paole).

1734 - A palavra vampyre entra para a língua inglesa traduzida de relatos alemães sobre as ondas de histeria vampírica européia.

1744 - O Cardeal Giuseppe Davanzati publica seu tratado Dissertazione sopre I Vampiri.

1746 - Dom Augustin Calmet publica seu tratado sobre os Vampiros, Dissertations sur les Apparitions des Anges, des Démons et des Espirits, et sur les revenants, et Vampires de Hundrie, de Bohême, de Moravie, et de Silésie.

1748 - É publicado o primeiro poema moderno de Vampiros, "Der Vampir", por Heinrich August Ossenfelder.

1750 - Outra onda de histeria vampírica ocorre na Prússia oriental.

1756 - A histeria do Vampiro atinge o pico na Wallachia.

1772 - A histeria do Vampiro ocorre na Rússia.

1797 - Publicação do poema de Goethe "Bride of Corinth" (poema concernente ao Vampiro).

1780-1800 - Samuel Taylor Coleridge escreve "Christabel", considerado hoje como o primeiro poema sobre Vampiros em inglês.

1800 - I Vampiri, ópera de Silvestro de Palma, estréia em Milão, Itália.

1801 - "Thalaba", de Robert Southey, é o primeiro poema a mencionar a palavra Vampiro, em inglês.

1810 - Circulam no norte da Inglaterra relatos de ovelhas com a jugular cortada e o sangue drenado. Publicação de "The Vampyre", de John Stagg, um dos primeiros poemas sobre Vampiros.

1813 - O poema de Lord Byron, "The Giaour", inclui o encontro de um herói com um Vampiro.

1819 - The Vampyre, de John Polidori, a primeira história de Vampiros em inglês, é publicada na edição de abril do New Monthly magazine. John Keats compõe "The Lamia", um poema calcado em antigas lendas gregas.

1820 - Lord Ruthwen ou Les Vampires, de Cyprien Berard, é publicado anonimamente em Paris, em 13 de junho; Le Vampire, a peça de Charles Nodier, estréia no Théâtre de la porte Saint-Martin, em Paris; agosto: The Vampire; or the Bridge of the Isles, uma tradução da peça de James R. Planché, estréia em Londres.

1829 - Março: a ópera de Heinrich Marshner, Der Vampyr, baseada na história de Nodier, estréia em Leipzig.

1841 - Alexey Tolstói publica seu conto, "Upyr", quando morava em Paris. É a primeira história moderna sobre Vampiros escrita por um russo.

1847 - Nasce Bram Stoker. Começa a longa seriação de Varney the Vampire.

1851 - A última obra dramática de Alexandre Dumas, Le Vampire, estréia em Paris.

1854 - O caso do Vampiro na família Ray, de Jewett, Connecticut, é publicado nos jornais locais.

1872 - Sheridan Le Fanu escreve "Carmilla". Vincenzo Verzeni, na Itália, é condenado por assassinar duas pessoas e por beber seu sangue.

1874 - Relatos de Ceven, na Irlanda, informam que ovelhas tiveram seus pescoços cortados e seu sangue drenado.

1888 - Editado o Land Beyond the Forest, de Emily Gerard. Vai se tornar a fonte principal de informações sobre a Transilvânia para o Drácula, de Bram Stoker.

1894 - O conto de H. G. Wells, "The Flowering of the Strange Orchid", é o precursor das histórias de ficção científica sobre Vampiros.

1897 - Drácula, de Bram Stoker, é publicado em Londres. "The Vampire", de Rudyard Kipling, se torna uma inspiração para a criação do Vampiro como um personagem estereotipado no palco e na tela.

1912 - The Secret of House N° 5, possivelmente o primeiro filme sobre Vampiros, é produzido na Grã-Bretanha.

1913 - É publicado Drácula's Guest, de Stoker.

1920 - Drácula, o primeiro filme baseado no livro, é produzido na Rússia. Não há cópias.

1921 - Cineastas húngaros produzem uma versão de Drácula.

1922 - Nosferatu, um filme mudo alemão, é produzido pela prana Films, é a terceira tentativa de filmar Drácula.

1924 - A versão de Drácula para o palco, de Hamilton Deane, estréia em Derby. Fritz Haarmann, de Hanover, Alemanha, é preso, julgado e condenado por matar mais de vinte pessoas numa orgia criminal vampírica. Sherlock Holmes tem seu único encontro com um Vampiro em "The case of the Sussex Vampire".

1927 - 14 de fevereiro: versão para o palco de Drácula estréia no Little Theater de Londres. Outubro: a versão americana de Drácula, estrelando Bela Lugosi, estréia no Fulton Theater de New York. Tod Browning dirige Lon Chaney em London After Midnight, o primeiro longa-metragem sobre Vampiros.

1928 - A primeira edição do influente trabalho de Montague Summers, The Vampire: His Kith and Kin, aparece na Inglaterra.

1929 - O segundo livro de Montague Summers, The Vampire in Europe, é publicado.

1931 - Janeiro: avant-première da versão espanhola Drácula. Fevereiro: versão americana para o cinema, Drácula, com Bela Lugosi, estréia no Roxy Theater, em New York. Peter Kürten, de Dusseldorf, Alemanha, é executado após ser julgado culpado de assassinar várias pessoas numa orgia vampírica.

1932 - Lançado o altamente aclamado filme Vampyr, dirigido por Carl Theodor Dreyer.

1936 - Lançado o filme Drácula's Daughter, pela Universal Pictures.

1942 - "Asylum", a primeira história sobre um Vampiro alienígena, de A. E. Van Vogt.

1943 - "Son of Dracula" (Universal Pictures) com Lon Chansey, Jr., como Drácula.

1944 - John Carradine interpreta Drácula pela primeira vez em Horror of Frankenstein.

1953 - Drakula Istanbula, um filme turco adaptado de Drácula, é lançado. Eerie N° 8 inclui a primeira história em quadrinhos adaptada de Drácula.

1954 - O código das histórias em quadrinhos bane os Vampiros. I Am Legend, de Richard Matheson, apresenta o vampirismo como uma doença que altera o corpo.

1956 - John Carradine interpreta Drácula na primeira adaptação para a televisão no programa Matinee Theater. Kyuketsuki Ga, o primeiro filme japonês sobre Vampiros, é lançado.

1957 - O primeiro filme italiano sobre Vampiros, "I Vampiri", é lançado. O produtor americano Roger Corman faz o primeiro filme de ficção científicas sobre o Vampiro, "Not of This Earth". "El Vampiro", com German Robles, é o primeiro de uma série de filmes mexicanos sobre Vampiros.

1958 - A Hammer Films, da Grã-Bretanha, inicia uma nova onda de interesse pelos Vampiros com o seu primeiro filme Drácula, lançado nos Estados Unidos como The Horror of Drácula. O primeiro número de Famous Monsters of Filmland assina um novo interesse pelos filmes de Horror nos Estados Unidos.

1959 - "Plan 9 From Outer Space" é o último filme de Bela Lugosi.

1961 - "The Bad Flower" é a primeira adaptação coreana de Drácula.

1962 - Fundação da Count Drácula Society, em Los Angeles, por Donald Reed.

1964 - "Parque de juegos" é o primeiro filme sobre Vampiros produzido na Espanha. "The Munsters" e "A Família Addams", duas comédias de horror com personagens vampíricos, abrem a temporada de outono na televisão.

1965 - Jeanne Youngson funda The Count Dracula Fan Club, The Munsters, baseado na série de TV do mesmo nome, é a primeira série de histórias em quadrinhos que destaca um personagem vampírico.

1966 - Dark Shadows estréia na rede ABC, na programação da tarde.

1967 - Abril: No episódio 210 de Dark Shadows, o Vampiro Barnabas Colins faz sua primeira aparição.

1969 - O primeiro número de Vampirella, a história em quadrinhos de maior duração até hoje, é lançado. Denholm Elliott faz o papel-título na série Drácula, produção televisiva da BBC. "Does Dracula Really Suck? (Drácula and the Boys)" é lançado como o primeiro filme a apresentar um Vampiro gay.

1970 - Christopher Lee estrela em "El Conde Drácula", adaptação espanhola de Drácula. Sean Manchester funda the Vampire Reserarsh Society.

1971 - A Marvel Comics lança a primeira cópia de um livro sobre Vampiros pós-Código das histórias em quadrinhos, The Tomb of Drácula. Morbius, o Vampiro Vivo, é o primeiro novo personagem introduzido após a revisão do código que permitiu o reaparecimento de Vampiros em histórias de quadrinhos.

1972 - The Night Stalker, com Davis McGavin, se torna o filme de TV mais assistido até essa data. "Vampire Kung-Fu" é lançado em Hong Kong como o primeiro de uma série de filmes de artes marciais vampíricos. "In Search of Drácula", de Raymond T. McNally e Radu Florescu, introduz Vlad, o Empalador, o Drácula histórico, ao mundo dos fãs do Vampiro contemporâneo. "A Dream of Drácula", de Leonard Wolf, complementa o trabalho de McNally e de Florescu ao chamar atenção para a lenda do Vampiro. "True Vampire of History", de Donald Glut, é a primeira tentativa de juntar as histórias de todas as figuras históricas de Vampiros. Stephen Kaplan funda The Vampire Research Center.

1973 - A versão Drácula, da Dan Curtis Productions, apresenta o ator Jack Palance num filme feito para a TV. "Vampires", de Nancy Garden, inicia uma onda de literatura juvenil para crianças e jovens.

1975 - Fred Saberhagen propõe que seja Drácula mais como herói do que como vilão em "The Drácula Tape". The world of Dark Shadows é fundada como a primeira fanzine Dark Shadows.

1976 - Publicação do livro Interview with Vampire, de Anne Rice. Stephen King é recomendado para o world Fantasy Award por seu romance Salem's Lot. Shadowcon, a primeira convenção nacional Dark Shadows, é organizada pelos fãs de Dark Shadows.

1977 - Uma nova e dramática versão de Drácula estréia na Broadway, com frank Langella. Lois Jordan faz o papel principal em Count Drácula, uma versão de três horas do romance de Bram Stoker, na TV BBC. Martin V. Riccardo funda o Vampire Studies Society.

1978 - O livro Hotel Transylvania, de Chelsea Quinn Yarbro, junta-se aos volumes de Fred Saberhager e Anne Rice como um terceiro grande esforço para iniciar uma reavaliação do mito do Vampiro durante a década. Eric Held e Dorothy Nixon fundam o Vampire Information Exchange.

1979 - Baseado no sucesso da nova produção de Broadway, a Universal Pictures refilma Drácula (1979), com Frank Langella, A gravação pela banda Bauhaus de "Bela Lugosi's Dead", torna-se o primeiro sucesso do novo movimento de rock gótico. Shadowgram é fundada como uma fanzine Dark Shadows.

1980 - A Bran Stoker Society é fundada em Dublin, na Irlanda. Richard Chase, conhecido como o Drácula assassino de Sacramento, Califórnia, comete suicídio na prisão. A world Federation of Dark Shadows Clubs (atualmente Dark Shadows Official Fan Clubs) é fundada.

1983 - Na edição de dezembro de Dr. Strange, o ás ocultista da Marvel Comics mata todos os Vampiros do mundo, banindo-os assim das histórias em quadrinhos pelos seis anos seguintes. É fundado o Dark Shadows Festival para anfitriar a convenção anual de Dark Shadows.

1985 - Publicação do livro The Vampire Lestat, de Anne Rice, que alcança a lista dos best-sellers.

1989 - A derrubada do ditador romeno Nicolae Ceaucescu abre a Transilvânia para os fãs de Drácula . Nancy Collins ganha o Bram Stoker Award por seu romance Sunglasses After Dark.

1991 - Vampire: The Masquerade, o mais bem sucedido role-playing game, ou RPG, é lançado pela White Wolf.

1992 - Estréia Bram Stoker's Drácula, dirigido por Francis Ford Coppola. Andrei Chikatilo, da Rússia, é condenado à morte após matar e vampirizar cerca de 55 pessoas.

1994 - A versão cinematográfica de "Interview with Vampire", de Anne Rice, estréia com Tom Cruise no papel do Vampiro Lestat e Brad Pitt como o Vampiro Louis.

 

 

 

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D